Nada te deixa mais consciente da presença de uma pessoa do que a falta dela.”

Sinopse: Eadlyn não acreditava que encontraria entre os trinta e cinco pretendentes do concurso um companheiro de verdade, muito menos o amor verdadeiro. Mas às vezes o coração prega peças… E agora Eadlyn precisa fazer uma escolha muito mais difícil — e importante — do que esperava.  


“Eu ainda era incapaz de encontrar qualquer sentido em lutar contra inúmeros obstáculos por amor para, no fim, esse sentimento te deixar impotente.”

Edlyn depois do infarto da mãe e a ausência do pai ( que insiste em ficar ao lado da esposa) acaba virando regente, ficando assim, no lugar do pai. Nesse tempo a frente de tudo, ela percebe que não e nada fácil ser rainha e que com isso vem muita responsabilidade e noite se dormir. Obrigada a acelerar a seleção, Edlyn fica mais confusa do que nunca, fazendo com que as coisas fiquem ainda mais difíceis, sem falar a antipatia que o povo tem a ela, que continua no segundo livro. Mas paralelo a tudo isso, Edlyn se apaixona por alguém que não posso contar se não perde a graça, mas tenho certeza que vai te deixar de queixo caído.

“Talvez os beijos especiais não sejam os primeiros. Talvez sejam os últimos.”

Bom, eu esperava beeeeeeem mais do livro, a história ficou bem corrida e com algumas falhas, mas tirando isso o livro e ótimo, escrita leve e fluida e marca registrada da Kiera e eu a amo demais, mas esse não foi um dos seus melhores livros. Acho que essa “saga” A Seleção já deu o que tinha que dar, mas estou esperando ansiosamente as novas aventuras da Kiera.


Classificação:




Deixe um comentário